Sistemática e Evolução


Coordenador Bruno Tomio Goto
Vice-coordenador Bruno Cavalcante Bellini

Secretário(a) Gisele Silva Marques de Melo
Telefone(s) para contato 3342-2486
E-mail ppgse@cb.ufrn.br, ppgse.ufrn@gmail.com
Horário de funcionamento da secretaria 7h30 - 12h e 13h30 - 17h


Site


Histórico


O Programa de Pós-graduação em Sistemática e Evolução foi criado em dezembro de 2010. Originalmente, composto por 15 (quinze) docentes, sendo 13 (treze) permanentes e 2 (dois) colaboradores. Atualmente, composto por 21 (vinte e um) docentes, sendo um visitante e dois colaboradores. Inicialmente, a proposta foi feita em nível de mestrado, aprovada com nota 4 pela Câmara de Genética e Biologia Geral (GBG) da CAPES, na qual fomos inicialmente alocados. O programa de doutorado foi aprovado pela capes em 2012, tendo a primeira turma iniciado duas atividades em março de 2013.


Fomos contemplados com projetos de grande relevância, e que merecem destaque, como o CASADINHO/PROCAD/CNPq/CAPES e PROTAX/CNPq/CAPES (duas edições seguidas) que, além de favorecer o desenvolvimento do programa através de intercâmbios com programas de pós-graduação consolidados de outras Instituições, darão suporte financeiro para o desenvolvimento das pesquisas, além de aporte de bolsas. Ao todo, considerando os projetos ativos em que os docentes do programa são coordenadores, temos um montante de cerca de 4,7 milhões de reais aprovados, o que demonstra a capacidade de captação de recursos destes docentes. Fomos contemplados também com o Edital Pesquisador Visitante especial - PVE/CNPq/CAPES/FAPs que possibilitará a vinda de professores consolidados (The City University of New York/USA e Jardim Botânico de Madri/Espanha), além de bolsa para Doutorado sanduiche no Exterior e Pós-Doutorado Junior. Adicionalmente, recurso de custeio e capital. Atualmente, todos os docentes integrantes desta proposta possuem projetos aprovados com financiamento.


Em nível global estamos presenciando uma crescente e contínua perda da biodiversidade, com o desaparecimento e alteração de habitats, poluição, invasão de espécies exóticas e a sobre-exploração dos recursos naturais. Em sinergismo com a perda da biodiversidade, houve um baixo investimento na formação de taxonomistas, acarretando muitas vezes no desaparecimento de espécies ainda não conhecidas antes mesmo de sua descrição e apresentação à comunidade científica. Paralelamente, o rápido desenvolvimento de técnicas moleculares e computacionais para construção de hipóteses filogenéticas entre organismos revolucionou a sistemática e a taxonomia nos últimos 30 anos. Além disso, os fatores históricos envolvidos com os processos de especiação ou com a escolha de habitats também podem fornecer informações para a construção de mecanismos mais eficazes de conservação de espécies e habitats. Desse modo, o conhecimento das espécies, de suas relações evolutivas e as implicações desse conhecimento sistemático aos mais diversos campos da biologia são atualmente um assunto de intensa pesquisa nas Ciências Biológicas.


Programas de Pós-Graduação ligados à Sistemática e Evolução são extremamente escassos no Brasil, um dos países com maior biodiversidade do mundo. A proposta de criar um Programa de Pós-Graduação que atendesse as exigências atuais em áreas estratégicas de taxonomia, sistemática e evolução é um sonho realizado, pois permitirá a formação de recursos humanos aptos na resolução das questões e demandas relacionadas com a taxonomia e biologia evolutiva dos organismos nos vários ambientes da região Nordeste, como a Caatinga, Mata Atlântica, Ecossistemas marinhos e limnéticos, além de outros ecossistemas da região Neotropical.

 

Objetivos do programa


O Programa de Pós-graduação em Sistemática e Evolução (PPgSE) tem por objetivo geral a formação de recursos humanos críticos e aptos na resolução de questões e demandas relacionadas à taxonomia e biologia evolutiva dos organismos da região Nordeste, como a Caatinga, Mata Atlântica e ecossistemas marinhos e limnéticos, além de outros ecossistemas da região Neotropical. Fornecer instrumental prático e teórico básico para viabilizar compreensão da taxonomia, filogenia e biologia dos táxons em questão. Viabilizar estudos de caracterização morfológica e molecular, sistemática e evolução de animais, fungos, plantas e microorganismos brasileiros em diferentes linhas de pesquisa do Programa. Realizar intercâmbio de discentes e docentes e promover missões de estudo. Atuar para ampliação sobre o conhecimento da biodiversidade, mais especificamente, do semiárido e mata atlântica e na disseminação deste conhecimento para diferentes setores da sociedade através de: apoio à implantação e manutenção de redes de inventário da biota; apoio à manutenção, ampliação e informatização de acervos biológicos; apoio à pesquisa e desenvolvimento em áreas temáticas da biodiversidade; atividades como apoio a publicação de artigos científicos, publicação de livros informativos sobre a biodiversidade da região; apoio a exposições itinerantes, através de banners, pôsteres, entre outros, nas localidades onde foram realizadas as expedições de coleta, disseminando desta forma o conhecimento adquirido entre a população.

 

Estrutura curricular


Mestrado
A estrutura curricular do mestrado consta de módulos que são oferecidos semestralmente, sendo que o mínimo a ser cursado será: 18 créditos obrigatórios (270 hora/aula), 06 créditos eletivos (90 hora/aula), o que totaliza 24 créditos (360 hora/aula).


Doutorado
A estrutura curricular do doutorado consta de módulos que são oferecidos semestralmente, sendo que o mínimo a ser cursado será: 16 créditos obrigatórios (240 hora/aula), 14 créditos eletivos (210 hora/aula), o que totaliza 30 créditos (450 hora/aula).